segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

MEC PROPÕE AUMENTO DE DIAS LETIVOS PARA 220 DIAS

Durante apresentação de uma pesquisa realizada pelo Ministério da Educação, o ministro Fernando Haddad disse que o MEC avalia a possibilidade aumentar em até quatro semanas no calendário letivo da educação básica do país no sistema público e privado.

Conforme está previsto na Lei de Diretrizes e Bases (nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996) no ano letivo e carga horária de 800 horas, equivalente à 200 dias letivos. Agora o ministro propõe uma discussão para ampliar a carga horária escolar para 220 dias ao ano.

Mas esta proposta não é bem vista pelos educadores. Prestes a completar 30 anos de serviços prestados ao sistema educacional, Marcos Aurélio dos Santos, vereador e diretor da Escola Estadual Fernando Otávio, a maior de Pará de Minas/MG não concorda com esta proposta do ministro da Educação, que considera equivocada:

Marcos Aurélio dos Santos


Segundo ele, no primeiro momento todos acreditam que o aumento da carga horária nas escolas será benéfico. Porém, na prática não funciona assim e comprometerá a qualidade de vida de alunos e professores:

Marcos Aurélio dos Santos


Marcos Aurélio acredita que esta proposta do ministro da Educação vai estimular ainda mais os movimentos grevistas, já que fala-se apenas em aumentar o número de dias letivos para 220, mas não citado que haverá melhoria na remuneração dos professores:

Marcos Aurélio dos Santos


Outro ponto que chama atenção é que o salário fixado é para 40 horas de trabalho dentro da sala de aula e em momento algum é levado em conta as horas que o professor passa em casa preparando aulas, trabalhos, corrigindo provas, dentre outras atividades extraclasse:

Marcos Aurélio dos Santos


Mesmo com a provável polêmica que o assunto vai gerar, ministro da Educação Fernando Haddad pretende discutir a questão com secretários de educação estaduais e municipais e enviar a proposta ao Congresso Nacional em 2012 para votação.

Para exemplificar que a necessidade de aumentar os dias letivos de 200 para 220 dias, o ministro cita que "Nenhum país com bom desempenho tem uma carga horária de 800 horas", disse o ministro. "O Chile tem carga de 1.200 horas por ano e o nosso desempenho hoje é equivalente ao que o Chile tinha no ano 2000."

FONTE: www.grnews.com.br - acesso 18/12/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário